terça-feira, 26 de junho de 2012

Decepção amorosa


Quando eu estava no primário, no auge dos meus 8 anos eu amava o Rafael S.
Um lindo com cabelo tigelinha, olhos verdes e tênis do seninha.

Ele namorava uma outra lá, a Melina. Lembro do rosto dessa mini piriguete como se fosse ontem.
Loirinha, olhos azuis, roupas da barbie e a primeira a ter um bip e um Tamagoshi, ou seja, todos os motivos para odiar.

E enquanto isso eu lá tentando puxar assunto com o Rafael no parquinho, abria mão da minha vez na balança pra ficar rondando, fingia até que gostava de Digimon.
Mas não dava, eles eram o casal 20 da escola e eu amava Pokemon.

Mas sabem aquela velha história do "um amor só cura com outro"? Pois é, eu aprendi isso lá, na segunda série.

Um dia minha mãe me colocou na perua e então conheci o Rodrigo.
Ah, o Rodrigo, ele parecia com o Ash. Branquinho com o cabelo preto mal cortado, usava uns tênis riscados e rasgados que por vezes me fazia sentir dó achando que a mãe dele não tinha dinheiro para comprar outro.
Me apaixonei e não queria mais ser a princesa, e  também não queria mais um príncipe.

Eu queria ficar conversando sobre Pokemon com o Rodrigo, queria ficar rabiscando o braço dele na aula, queria que ele ficasse jogando bolinha de papel em mim, para no final do dia sentar do lado dele na perua.
Nunca mais escrevi Rafael no meu caderno. Apaguei tudo e deixei só a letra "R" que agora era de Rodrigo. Superei.


Desde então eu estou tentando colocar na cabeça que o amor é algo simples. É só não insistir naquilo que sabemos que não é para nós.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Indecisão


A melhor coisa que alguém pode fazer por mim, é me poupar de decidir algo.
Não consigo nem escolher o vagão do trem sem pensar umas 3 vezes  que o do lado talvez esteja mais vazio.


Escolha você, nem que seja para eu discordar depois.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Mórbido


Se eu pudesse escolher uma morte para mim, morreria igual o Johnny Cash.
Não de diabetes, é claro.

Morreria de amor.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

segunda-feira, 18 de junho de 2012

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Confundo


Esqueci o motivo, mas em algum momento as coisas ficaram estranhas para mim.
Eu custumo confundir nos finais de semana, e pra isso a minha aparência ajuda.

As pessoas engraçadas são as mais melancólicas.

sábado, 9 de junho de 2012

As mulheres


Nem toda mulher quer alguém para abrir a porta do carro.
Algumas querem alguém que desvie o caminho e as levem para longe de casa.

terça-feira, 5 de junho de 2012

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Andar

Caminhos que eu não conheço.
Lugares que eu não quero.
Coisas que eu não sei.
E andar sozinha não é tão bom como dizem.